Google+ diHITT - Notícias

Amigurumi Ursinha - Ponto Com Artesanatos


A ursinha mais fofa do mundo!!!!!

Não dá vontade de ter uma?
Produto exclusivo Ponto Com Artesanatos. Encomende já a sua para presentear alguém querido.

Ponto Com Artesanatos - FacebookPonto Com artesanatos - G+Ponto Com Artesanatos - PinterestPonto Com Artesanatos - Instagram
Receba nossas novidades em seu e-mail:

Resgatando memórias boas...


Oi gente! Quanto tempo sem postar nada aqui, nê? Mas hoje me deu uma grande vontade de falar sobre memórias!

A memoria da gente é bem engraçada! Muitas vezes é ingrata, outras nos surpreende.
Outro dia estava tentando lembrar o nome de uma apresentadora de TV de um programa dos anos 90... e cadê que lembrava? Era como ter o nome na ponta da língua e não sair! Mais de uma semana depois - pimba! O nome piscou em minha cabeça, assim, do nada! Eu sabia que ele estava lá, guardadinho em alguma gaveta da memória!

De vez em quando eu me pego bem nostálgica. Episódios de vida que ficaram adormecidos por muito tempo e que de repente retornam.  Hoje foi um dia desses!
Com a ajuda das "lembranças do Facebook", comecei a lembrar da minha época de escola. Uma amiga dos velhos tempos compartilhou a nossa foto, tirada em um dos dias mais tensos e ao mesmo tempo mais libertador que tivemos! Foi o dia da nossa apresentação do projeto final do curso. Naquele tempo estudávamos Técnico em Eletrônica. Atualmente, não me lembro de quase nada daquele curso, nem daquele projeto em que trabalhamos por um ano inteiro! Mas rever algumas fotos nos fazem recuperar pérolas que julgávamos perdidas.

Aí eu digo, saudades em doses homeopáticas podem fazer bem para nossa felicidade atual. Pensar no que passamos, no que vivemos, lembrar de nossas superações, de nossas conquistas... Olhar para nosso presente e ver o que é hoje importante para nós!

Agradeço ao bom Deus que me conduziu até aqui - e que me ajudou a trilhar um caminho do qual tenho pouco a lamentar! 

Hoje, fabricamos as lembranças que teremos no futuro. Que a nossa essência seja sempre a que traga alegria e felicidade para as pessoas que nos amam!

Obrigada, querida Fá, por guardar com carinho este pedacinho de vida que compartilhamos juntas. Sei que, se puxarmos cada ganchinho de memória desse tempo, temos muito "pano pra manga", com historias de alegrias, de tensões, de ansiedade, de risos... Ah, bons tempos, mas não melhores do que os atuais -  caminhos que nos fizeram ser o que somos hoje!

E será que alguém também tem alguma história nostálgica pra compartilhar?


Ponto Com Artesanatos - FacebookPonto Com artesanatos - G+Ponto Com Artesanatos - PinterestPonto Com Artesanatos - Instagram
Receba nossas novidades em seu e-mail:

Artesão não tem depressão - será?


Oi gente!
Primeira postagem do ano - e o assunto não é o crochê, e nenhum outro artesanato!

O tema que venho tratar é, na verdade, bem delicado - e por que não dizer "cheio de tabus"?

Quero falar sobre Depressão!

O que dizem sobre a Depressão e o Artesanato


É muito comum e corriqueiro ouvirmos dizer que o exercício da arte, do artesanato é uma válvula de escape para quem tem depressão.
Muitos dizem que superaram sua depressão fazendo artesanato.
Dizem que quem faz artesanato é mais feliz, mais calmo...
Dá a impressão, e a propósito - a falsa impressão - de que quem faz artesanato está imune a este mal - será?

É claro que os trabalhos manuais exercem uma força muito poderosa no enfrentamento da depressão, e são muito utilizados em terapias profissionais. Mas não pense que o Artesão jamais se sentirá deprimido, que jamais cairá em uma crise de profunda depressão!


Minha experiência com a Depressão

A depressão é um transtorno de humor que quando não recebe a devida atenção por parte da pessoa que sofre, certamente irá afetar negativamente os seus pensamentos e comportamentos.


A primeira vez que procurei ajuda para tratar de uma depressão, foi em 2007, quando estava grávida da minha caçula linda! Precisei de ajuda, de alguém que me incentivasse ao tratamento. Esta foi a fase de Aceitação: tenho depressão e preciso me tratar.  Terapias e medicamentos foram necessários.
Interessante que, foi neste mesmo meio tempo que me envolvi profissionalmente com o Artesanato.

Com a ajuda da psiquiatra, encontrei a "pílula da felicidade" - o medicamento que mais me fez bem e com menos efeitos colaterais! Cheguei a tomar a dose diária mais alta permitida.
Aproveito para mencionar que, um dos erros mais comuns que cometemos quando estamos em um tratamento bem sucedido, é achar que estamos "curados" e deixar de tomar os remédios!

Mas aconteceu que a minha médica saiu da rede pública de atendimento, e até chegar alguém que a substituísse se passaram quase um ano. Esta interrupção no tratamento foi terrível para mim. Neste ano de 2016, passei efetivamente pela minha pior crise depressiva e de ansiedade!

Quando a criança se confronta com a depressão


Com uma crise tão intensa e tão extensa, foi impossível disfarçar e esconder os sentimentos/ sintomas. De certa forma, esta falta de máscara para a dor foi positiva pois me atraiu grandes ajuda para o enfrentamento. Mas por outro lado, foi surpreendente ver as diferentes reações de meus filhos ao meu estado.

As meninas são, de fato mais sensíveis! Por várias vezes minha filha (então com 8 anos) me questionou sobre "o que é depressão", embora eu mesma não tenha usado este termo perto dela. Percebi então, que ela conversava sobre o assunto com coleguinhas da escola! Eu sempre fui bem tranquila em nossas conversas, evitando expor minhas 'dores' para não influenciá-la negativamente (já que ela é bem ansiosa por natureza). Pedi que ela não ficasse falando sobre minha 'doença' com outros, e ela concordou. Certo dia, num evento público, ela desatou a chorar copiosamente! Me retirei e tentei acalmá-la e saber o que estava acontecendo. Depois de muito relutar, ela confessou ter contado para a coleguinha que eu estava muito triste! Fiquei atordoada e despenquei a chorar também! Foi como lavar os nossos corações e se livrar de um peso enorme. Foi bom conversarmos abertamente sobre o assunto, e isso nos achegou muito mais, com certeza!

Os meninos são mais desligados! Mesmo me vendo chorar repetidas vezes, e ouvindo os questionamentos da irmã, demorou para meu filho (então com 10 anos) entender o que estava acontecendo! Eu já estava medicada e me recuperando, quando o assunto surgiu num jantar. Quando ele ouviu a palavra "depressão", ficou em estado de choque! Nunca imaginei esta reação. Ele chorou desesperadamente, e como mãe atenta eu já imaginava seus motivos! Ele tinha estudado recentemente na escola, sobre Getúlio Vargas - que ele tinha se suicidado por causa de uma depressão. Ficou preocupado achando que eu, por estar com depressão, também iria morrer! Foi outra longa conversa esclarecedora.

Por que estou contando isso? Para ajudar a quem precisar! 
Não podemos fechar os olhos para o efeito que a depressão de alguém pode ter sobre as crianças por perto! Assim como nós temos conceitos (e preconceitos) diferentes sobre o que é a depressão, as crianças podem ter ideias totalmente distorcidas sobre o assunto.
Como pais, temos o dever de passar o que há de melhor para nossos filhos. Mas não devemos deixar de dar o esclarecimento necessário, segundo a maturidade de cada um. Não há nada melhor do que uma boa conversa franca e aberta com elas!

Concluindo a pauta


Retomei o tratamento e estou em boa recuperação.
Palavras bondosas e incentivo carinhoso de amigas fizeram grande diferença! E ter o apoio de meus pequeninos, foi uma força anormal para me levantar!
A luta ainda é longa, um dia de cada vez!
A produção artística fica muitas vezes comprometida, a motivação, a inspiração podem nos faltar! Não somos apenas artesãos - somos humanos!

Se você passa por esses desafios, ou conhece alguém que passa, reconheça a garra que está por detrás deste enfrentamento. Informe-se. Converse. Trate sem medo!
Toda a família merece se sentir abraçada e acolhida!

Beijo no coração de Vocês!!!!






Ponto Com Artesanatos - FacebookPonto Com artesanatos - G+Ponto Com Artesanatos - PinterestPonto Com Artesanatos - Instagram
Receba nossas novidades em seu e-mail:
Topo